quinta-feira, fevereiro 23, 2006


Jan.2001-Fev.2006

Adeus Sop.!

Estes anos foram vividos intensamente. Relação Amor/Ódio!

Tantas vezes senti raiva, tantas vezes senti-a como fosse minha. O empenho que dediquei, abdicando da minha própria vida. Muitos fins-de-semanas lá enfiada sem ver a luz do dia, tantas noites, que em vez de estar em minha casa, a namorar, a ler, a sair com os amigos, a viajar, etc. estava lá!

Fiz com a minha consciência da altura. Pensava que valia a pena.Sabia bem conseguir os impossíveis.

Encontrei amigas(os), encontrei brigas, encontrei o sentido da palavra de Seita.
Briguei, gritei , para quê?!

Mas também me ri muito..., muito mesmo.

Mas encontrei mais tarde um refúgio que me apoiou durante a minha fase mais dificil. Ela estava lá - Sop. maravilha, com todos os elementos ao pé de mim.

voltei para um projecto delicioso! conheci pessoas fantáticas, percorri Portugal, abri-me, expandi-me. Foi uma Rentreé ideal!

Acabei a minha parte do projecto, e tudo começou a inclinar-se para este fim.

Eu no fundo já sabia, mas custa deixar, custa desapegar , custa pensar que o meu dia-a-dia vai deixar de passar por lá, mesmo sendo por menos vezes. Vou deixar de pertencer. - Coisas de Seitas!!!!!!! O mundo gira e gira volta de uma forma de se trabalhar, dá-se tudo por ela.

Mas acabou!!!! e eu agora vou descansar...esquecer, desligar e começar, sim começar coisas novas. ACABOU, FIM!

quarta-feira, fevereiro 22, 2006

Amor

Olha para dentro de ti. Sente o teu coração. Como está?: encolhido, fechado, demasiado aberto, dorido...
Aceita-o como estiver e abraça-te, perdoando todas aquelas culpas ou erros que tu próprio te inculcaste ou deixaste que outras pessoas o fizessem.Começa a respirar fundo deixando o teu coração sem temor nem nehum tipo de dor.
Dá-lhe autorização para caminhar sem medo, diz-lhe que és maravilhoso, que fazes tudo muito bem. Diz-lhe que o processo da vida é correcto e sábio trazendo-te em cada momento aquilo que precisas. Dedica muito mais atenção a ti próprio e aprende a querer-te tal como tu decidiste ser. Pouco a pouco entrarás num mundo de paz interior, de calma e harmonia.

Só tens de fechar os olhos e começar a deslizar dentro do teu coração, e aí sentir o verbo amar: Amar, Amo, Amando, Amado, Amante...realmente é um verbo completo, especial e totalmente necessário. É o motor de tudo, para que tudo faça sentido.

Não duvides em amar-te muito, tanto como para compreender que és o protagonista do teu filma, não te conformes com papéis secundários e aceita os papéis que te correspondem.
amar-se é áceitar-se;a amar-se é não julgar nem castigar-se; amar-se é sentir a união com o teu Anjo e compreender que tudo está bem, que o Universo te põe na frente tudo aquilo que necessitas em cada situação para que através dela possas crescer. Amar-se é respeitar-te e para isso é preciso conhecer-se, saber quem és, o que desejas, o que pensas...Amar-se é observar-se com ternura e dizer rudo aquilo que ninguém te disse ou que não soubeste ouvir quando to diziam. Amar-se é olhar-se por fora e por dentro como o presente mais esperado ou a pessoa mais querida.

Quando a mensagem do Amor chega a ti, observa se verdadeiramente te amas; se não o fazes "chegou o momento de comerçares e premiar-te". Premeia-te com pequenos detalhes: uma flor, um livro, um telefonema a um amigo, uma ida ao cinema. Quem aprende a amar-se, aprende a amar tudo, e a amar os outros.

segunda-feira, fevereiro 20, 2006

Molda-te a ti própria(o)



Foto de Pedro Envangelista

Equilibrio Emocional

Todas as modalidades, como o yoga, reiki, budismo, etc., tem um denominador comum - O Bem estar, o equilibrio do corpo e da mente. Cada grupo defende a sua filosofia, mas todas querem o mesmo objectivo.
Conhecer o nosso Eu interior, aquele que só nós próprios temos acesso, como um código secreto que só nós temos a chave e o que acontece é,quase sempre, perdemos essa chave de acesso, e por isso andamos perdidos. Muitas vezes procuramos outras chavesa, ou andamos atrás de quem nem sequer conhece a própria chave.
Andamos atrás de ideias, da opinião, quando essas pessoas nem sequer sabem o que dizem.
Porque elas também andam atrás de outras e outras.
É até podiamos construir uma rede imensa de todos atrás de todos, sem ninguém saber se se estar a tomar a direcção certa.
Porquê não se trabalha e interessarmo-nos pela Nossa Chave de Acesso. Aquela que nos vai dar ao maravilhoso mundo, um novo mundo, visto só da nossa maneira.
Podiamos tentar decifrar, com todo o empenho e curiosidade, da mesma forma que fazemos quando lemos um livro,, que nos tira o sono para chegarmos ao fim. As personagens tomam vida própria e há um mistério para desvendar. Encontrar o desfecho da história.
Encontramos as soluções dos problemas matemáticos, as palavras cruzadas, etc. - E que tal encontrar a Nossa Chave de Acesso - Conhecermo-nos, sormos capazes de brincar conosco próprios, rir de nós mesmos, divertirmo-nos, gostarmos da nossa própria presença, saber viver só, mesmo rodeado de pessoas - Nós somos o(a) nosso(a) melhor amigo(a). Falarmos com o nosso Eu , e questionarmo-nos o nosso pensamento e ideias, sem espaços de intervalo que nos sujeitem a limitações.
Por ex., num debate em televisão, onde as pessoas são expostas ao exterior, o que se vê, são pessoas que imitam gestos, comportamentos, linguagem, posições, de outros. Estes comportamentos tem decadas, como se fosse imposição, como se assim é que que se deve comportar. Veêm-se poucos comportamentos inovadores, que demostrem autenticidade, valores próprios - Eu própria de Chave de Acesso na mão.
Embora seja dificil, nesta sociedade, também é divertido. É preciso deixar de termos que ganhar a postura ideal aos olhos dos outros - SEJAMOS INOVADORES - temos de ganhar o nosso próprio espaço - A NOSSA ATITUDE. Para mim o futuro vai-nos levar a esta forma de estar. Quem assim for é que ganha carisma. Não é quando se ganha o carisma é que se pode ter atitudes naturais.
Vamos utilizar as palavras em voga de Inovação e Diferenciação em nós próprios. Não esquecendo que estamos num intervalo da consciência, que com esta atitude façamos mal aos outros. É preciso é semos nós próprios, elementos da natureza mãe, inseridos num universo. Ocupamos um espaço especial e nele somos um Ser importante, pelo menos para nós próprios. Depois de alcançar este estado, estamos tao bem, que o amor não passará pela necessidade mas pela Forma.
Mas é preciso não esquecer que a forma tem de ser compreendida pelo outro e temos sempre de saber, dar e agradar e viceversa - Vivermos primeiro para nós e olharmos para o outro com amor, amizade, compreensão, e garantir que o meu bem, vai dar o bem ao outro e ainda dar mais um pouco de nós ao outro , de acordo com a necessidade do outro.
Cada pessoa é um conjunto e quando se junta 2 conjuntos parcialmente, ficamos com uma parte de intersecção que unidos nessa parte, deixando uma parte isolada de cada um, e vivendo em harmonia , conseguimos gozar o que a vida tem de melhor para nos dar.

domingo, fevereiro 19, 2006

O que o universo me oferece...

Todos os dias me aparece coisa novas..., caminhos diferentes e interessantes, com muitas contrariedades, com coisas boas e más.

Eu quero encontrar a perfeição, a plenitude! Pode ser utopico, mas eu quero. Por isso baralho tudo, sem pressas! Espero baralhando as cartas da vida e deixo-me estar a baralhar.
Às vezes encontro uma carta nova e junto-a ao baralho que tenho. Sem pressas... Eu sei que no momento certo, começo a colocar as cartas na mesa e escuto a voz da mensagem. Agora só quero baralhar as cartas, não quero decidir nada.

Só espero que tenha, até lá, todas as cartas que necessito para continuar o meu caminho... nesto momento estou parada, a tentar encontrar dentro de mim tudo que tenho, a modificar coisas que estavam danificadas e apagar coisas, que por algum motivo, as interiorizei e estiveram durante bastante tempo dentro de mim, a fazer distorção do meu EU !

As minhas experiências avivaram tudo, e alertaram-me para me questionar quem realmente eu sou, o que eu quero para mim, o que posso permitir que me façam, o que é compreensão, submissão, tolerância, verdade, amizade, agressividade, egoismo, frontalidade,etc. e o famoso amor, que é a base para tudo.

As relações entre as pessoas deviam ser despidas de tudo, deviamos vêr sempre tudo, não deviamos precisar de duvidar. seriamos só a parte da natureza que temos, mais nada!

De certeza que baralhar as cartas seria mais fácil, demoraria menos tempo e assim viveria com mais VERDADE!

É a palavra pela qual eu mais luto! VERDADE

Para mim devia existir sempre a VERDADE em tudo!

E o pior é que quanto mais a procuro menos sei, e enquanto a procuro, baralho e baralho e não paro de baralhar. vivo a baralhar, paradinha, à espera que o UNIVERSO, que é a minha casa, me faça a encontrar, para parar um bocadinho, e acreditar, nem que seja durante um tempo, que ela existe!

Não paro, vivo com intensidade, aberta para incluir bastantes cartas, disfrutotando do prazer da vida! Não caio na depressão, até pelo contrário, quero estar bem acordada, activa. É por estar assim que me aparecem coisas giras e sinto o prazer de estar viva e ser MULHER!

Será que o meu mal é a minha imaginação, aquela que acredita que se eu ainda estou neste mundo, é porque vou encontrar tudo o que procuro?

Como dizia Arturo Graf:
"A melhor amiga e a pior amiga do homem é a fantasia."

terça-feira, fevereiro 14, 2006

A linguagem do Abraço

...E todos os que se abraçam sob o céu
vêem o brilho das estrelas
irrandiando a sua protecção
sobre os amantes verdadeiramente apaixonados.

O abraço entre o HOMEM e a MULHER,
esse abraço tem um nome,
o seu nome é amor.

Há abraços tão LONGOS
que conseguem alcançar os céus
e abraços que nos percorrem dos pés à cabeça.
Em certos abraços as mãos ficam inquietas.
Há abraços feitos de sorrisos e de risos
e um abraço que conforta e vence a solidão.
E há abraços de alegria
e também abraços onde receamos
a hora em que teremos de nos separar.

O abraço que vem de MUITO LONGE NO TEMPO,
repleto de saudades,
mergulha no nosso coração
e jamais o esqueceremos.

A linguagem dos abraços
não contém quaisquer palavras,
nem é vazia de sentido.
Acima de tudo, o que desejamos nela,

é que o nosso abraço seja eterno e infinito.


"Michal Snunit"

A cada dia que vivo, mais me convenço

Não necessita de música, mas toca ainda mais fundo...

A cada dia que vivo, mais me convenço

De que o desperdicio da vida está no amor que não damos
nas forças que não usamos,
na prudência egoísta que não arrisca,
e que, esquivando-se do sofrimento
perde também a felicidade!


Carlos Drummond Andrade

segunda-feira, fevereiro 06, 2006

A vida tem de ser excitante... :-)


fotografia de Artur Ferrão - 1000imagens